CHAT 21 a 27/nov

21nov16

Leia também…
Histórico de Chat’s (muitas dicas!)

Receba um resumo semanal desse Chat, toda segunda-feira...
Mais: Antes e depois  |  Melhores artigos do Blog  |  Chat’s  |  Livros
      RSS dos comentários



25 Responses to “CHAT 21 a 27/nov”

  1. 1 Leitão

    Bom dia, amigos!
    Uma imagem fala mais que mil palavras…

    Uma ótima semana a todos!
    Leitão

  2. 2 JB

    Leitão

    Acho interessante suas análises gráficas. Na maioria dos gráficos vc utiliza as LTs e a Fibonacci? Ou alguma outra técnica te auxilia na tomada de decisão?

    Sei q antes vc já olhou os fundamentos da empresa por trás do papel isso vc não precisa nem dizer.

    Abs

  3. 3 Leitão

    Oi JB!
    Bom dia!

    Uso sempre Linhas de Tendência, Fibonacci e também análise de Candle-stick, além claro da Análise Fundamentalista…

    As 03 técnicas que comentei se desdobram em conceitos e princípios de psicologia de massa aplicada (o que tem por trás delas é que é legal, é mais ou menos igual à imagem do Iceberg aí em cima.. rsss), é bem interessante e a turma gosta muito de estudar e praticar depois. A leitura do mercado fica bem facilitada com isso…

    Um abraço!
    Leitão

  4. 4 Sedex

    Leitão, boa tarde!
    Está rolando uma OPA do WHRL… Para mim fica claro que a empresa não quer mais minoritários como sócios e por isso pretende fechar o capital… Recebi um email da corretora que utilizo para me posicionar a respeito da OPA.

    Minha dúvida é a seguinte: o que acontece se a OPA foi aceita e eu não vender minhas ações no dia D? Ficarei com ela indefinidamente em carteira e não recebo mais meus dividendos?

    Abraços e parabéns pela alta qualidade do blog.

  5. 5 Vagner

    Leitão,

    CIEL3 não estaria em excelente momento para especulação ?

  6. 6 Leitão

    Oi Sedex!
    Boa tarde!

    Obrigado!

    Cada caso tem particularidades então é melhor verificar o edital oficial da companhia. Visite o site oficial da companhia e veja na sessão de Relação com Investidores os comunicados e fatos relevantes para ficar bem informado.

    Mas de forma geral não vale a pena ficar na empresa. Após verificado o fato, melhor mesmo é vender à mercado, nem esperar o dia D… Assim já vai saindo e direcionando para outras empresas. No dia D pode surgir inconvenientes…

    E caso não venda, ficará preso numa ação sem liquidez. Continua com seus direitos, mas casa com ela e não vale a pena pagar pra ver…

    ————————————–
    Oi Vagner!
    Não posso dar pitacos sobre operações aqui no Blog…rss

    ————
    Abraços!
    Leitão

  7. 7 Anônimo

    Leitão,

    A CMIG4 está se segurando na média de 200 períodos no diário, você vê esse ponto como entrada para médio prazo (6 meses), com objetivo em R$12,50?

  8. 8 Leitão

    Oi “Anônimo”! (Você esqueceu de dizer seu nome ou nickname)

    Aqui no Blog não posso dar dicas diretas de operação. O objetivo principal do blog é Educacional, e não Operacional…

    O que procuro fazer é ajudar na leitura do mercado… para isso veja no menu lateral o histórico de análises…

    Abraço!
    Leitão

  9. 9 Fabio Gomes

    Bom dia mestre!!

    Uma luz por favor, as rentabilidades que os fundos de renda fixa informam já são descontadas a taxa de administração. Deste valor eu desconto o IR que é proporcional ao tempo de inicio da aplicação. mas gostaria de saber como faço para calcular a minha rentabilidade real, ou seja descontando a inflação para eu saber o meu real poder de compra. Qual indicador eu usaria e como seria o cálculo. Desde já agradeço os seus ensinamentos aqui na sua cozinha.
    Abraços

    Fgomes

  10. 10 FERNANDA FIEDLER

    Oi Leitão!

    O que me diz da CIEL3 a longo prazo?
    O retorno sobre o capital tem diminuído nos últimos anos.

    Abraço

  11. 11 Leitão

    Oi Fabio!
    Boa tarde!

    Você pode usar um dos índices oficiais do governo, como o IPCA, por exemplo, ou pode fazer um milk-shake médio dos índices que mais gostar, ou seja, definir um valor de inflação pessoal que mais reflita seu estilo de vida atual e futuro…

    A inflação do governo nem sempre é a inflação real, nem tão pouco a nossa. Use o bom senso mesmo.

    Quanto ao cálculo, desconte ano a ano a inflação ou então some a inflação acumulada do período da carteira e compare com a rentabilidade…

    ————————-
    Oi Fernanda!

    A CIEL3 é uma excelente empresa, num ramo bom e lucrativo. Vale a pena analisá-la com calma sim. Inclusive ela está entre as “queridinhas” lá da turma:

    https://leitaoemacao.wordpress.com/2015/01/16/queridinhas-do-buteco-do-leitao/

    ———–
    Abraços!
    Leitão

  12. 12 Felipe

    Leitão,

    Depois de muito ensaio (6 anos de investimento gradual), estou pensando e me planejando para fazer o lançamento do meu show em 2018 (sair de meu emprego fixo)! rsrs

    Mas a insegurança é grande! Não sei se meu patrimônio (aprox. 500k) é suficiente pra me proporcionar, através de dividendos e especulações, o básico para subsistência (moradia/alimentação/saúde/transporte/etc).

    Mas não pretendo parar de trabalhar, minha intenção é mesmo de me libertar da rigidez do emprego formal e partir para outra área que tenho mais afinidade como autônomo ou microempreendedor, mas que não deve gerar quase nenhum retorno no curto (talvez médio) prazo.

    O que você acha? Tem alguma sugestão pra facilitar essa transição?

    Abraço,
    Felipe

  13. 13 FTA

    Felipe ,
    Se me permite um pitaco:
    1, Não se conta com especulação para pagar as contas diárias
    2, 500K , mesmo que vc seja bem comedido nos gastos , não permite nenhuma flexibilização, mudança de planos, margem de segurança etc..
    3 Vc pode se frustrar e ficar difícil se realocar no mercado atual.
    Espero ter contribuído abs

  14. 14 JB

    Felipe,

    Aproveitando o Pitaco do FTA…

    Vc só vai conquistar sua independência financeira se,

    Investir em vc,

    Se dedicar ao seu trabalho,

    E acumular patrimônio de valor!

    Abs

  15. 15 Leitão

    Oi Felipe!
    Sua pergunta é muito legal e me emociono ao tratar desse tema, pois já passei por isso e sei que dá um frio na barriga mesmo…

    O FTA e o JB já levantaram boas questões (Obrigado, pessoal!).

    Mas esse tipo de decisão envolve saber outra coisas: Qual sua idade atual? Você é casado? Tem filhos? Pretende se casar e ter filhos? Está realmente esgotado no seu atual emprego ou ainda tem lenha pra queimar? A nova atividade que pretende executar vai gerar alguma renda ou vai demorar ainda? Você vai mudar para outra atividade que realmente tem talento/dom ou é só por questão de cansaço com a atividade atual? Se tudo der errado, você tem um plano B e um plano C? Seus custos de vida atuais são X, mas e os futuros? Daqui a 10 anos, por exemplo, sua vida pode ser outra bem diferente e os custos também? Você mora em uma cidade cara ou não? Já tem moradia própria? Se não, pretende ter quando e onde? Quais as fontes de renda passiva atualmente? Mais alguém da família é afetado a partir de suas decisões pessoais?

    Quando eu decidi sair da empresa em que trabalhei durante 15 anos eu tinha renda passiva suficiente, tinha moradia, era solteiro e sem filhos, e tinha um plano B e plano C. Mas mesmo com tudo isso ainda dava frio na barriga. Mas estando com uma rede de segurança em baixo, a gente tem que saltar mesmo, vale a pena viver intensamente :-)

    Espero que as reflexões possam ajudar. Veja se consegue já ir se dedicando a novas atividades antes um pouco de sair de seu emprego atual… Veja se já conseguiu mesmo minimizar os custos e viver bem de forma mais simples;

    E o mais importante: não coloque sua segurança no dinheiro, profissão, patrimônio ou coisas afins… tudo isso é poeira que o vento leva. Você tem que colocar sua confiança em algo maior que tudo isso, que lhe dê paz mesmo que tudo ao seu redor esteja complicado. Você tem que levar a vida positiva e bem com 500k ou sem 500k, com emprego ou sem emprego… Se conseguir fazer isso, aí sim encontrou algo de valor…

    Abraço!
    Leitão

  16. 16 Felipe

    Pois é, Leitão!

    Todas essas questões passam por minha cabeça! Mas, mesmo tendo respostas positivas pra maioria delas, realmente é difícil chegar à uma conclusão.

    Com relação ao custo de vida, estou totalmente tranquilo pra viver de forma bem simples, da maneira que for possível. Tenho uma moradia financiada e o apoio de minha esposa para segurarmos a barra juntos (ela também é empregada mas também pensa em se tornar empreendedora). Filhos, se acontecer, só bem mais pra frente…

    Acho que o principal motivo para fazer essa mudança é que realmente não estou rendendo mais no emprego atual, e quero mudar para a área de atuação que realmente me motiva a trabalhar (no meu caso, a música). Mas ainda tenho muita energia pra gastar… ainda estou na casa dos 30.

    Tanto eu como minha esposa já desenvolvemos atividades paralelas relacionadas às áreas de que realmente gostamos, adquirindo conhecimento e fazendo pequenos trabalhos. Acho que temos condição de viver bem fazendo o que gostamos mais.

    Mas como são muitas questões, se me permitir, gostaria de conversar melhor com você e passar mais detalhes por email.

    Abraço,
    Felipe

  17. 17 Sedex

    Poxa vida, fico muito feliz de ler histórias como essa do Felipe aqui no blog… que coisa bacana! Lendo isso me sinto ainda mais motivado a perseguir meus sonhos… obrigado Felipe por compartilhar um pouco de sua vida com a gente =)

    Leitão, seu ponto de vista é realmente bem elaborado… há muitas variáveis mesmo que temos que levar em consideração…casa própria quitada, filhos, renda extra com trabalhos esporádicos, renda passiva, saúde, imprevistos, e na minha visão o mais importante que é estar preparado para levar uma vida realmente simples mas cheia de valor!

  18. 18 Leitão

    Oi Felipe!
    Sim, será um prazer ajudar! Pode me mandar um email direto com mais informações: leitao@leitaoemacao.com

    Mas já deu para perceber que você já tem boa parte das respostas na mão, e positivas. Então tá faltando mesmo é aquele empurrãozinho para se lançar no novo… Eu sou bastante audacioso e experimentativo (se é que existe isso), mas não dou ponto sem nó, então sou totalmente a favor dessa mudanças de vida, ainda mais se bem consciente como me relatou… vai fundo!

    Espero seu email então para ver se posso ajudar mais um pouco…

    ———————
    Oi Sedex!
    Legal mesmo, não é! A turma toda ganha com esse aprendizado aqui…

    ————
    Abração!
    Leitão

  19. 19 FTA

    Leitão,
    Esse assunto eu gosto bastante.
    Mas me intriga o seguinte,imagino que ninguem aqui gostaria de se “aposentar” e ter que depender do SUS, ver seus filhos estudando em escolas ruins ,e depender dos serviços do nosso Estado nação de péssima qualidade, morar num local inseguro etc…Por isso me questiono que deve haver uma renda mínima e com margem de segurança para chutar o pau da barraca, não? 500k bem administrados hj dariam 2k /mês e sem margem .Ou seja esse é um valor de quem depende de todos os serviços acima citados,mesmo que viva de maneira bem simples. abs e bom dia

  20. 20 Leitão

    Oi FTA!

    Sim, uma renda passiva de 2k é apertado. E outra coisa, é preciso ter fontes variadas para, caso uma fonte retraia ou falhe, tenha outra…

    Acontece que ninguém para de trabalhar. Se fizemos isso a gente morre. Todos precisamos exercitar nossos dons e produzir…

    Juntando a renda passiva mais alguma atividade que exerçamos (sem pressão), dá para viver sim…

    Abraço!
    Leitão

  21. 21 JB

    FTA compartilho do seu entendimento.

    Ele deve estar muito bem estruturado antes de tomar uma decisão como esta.

  22. 22 Roger

    Essa questão de independência financeira, ou poder ter a oportunidade e liberdade de fazer uso do tempo da maneira que gostaríamos parece ser o sonho geral, e no qual sites dedicam espaço e artigos e mais artigos a respeito.

    Verdade é que sem ter um colchão que lhe garanta de fato a segurança esperada sonho pode virar pesadelo.

    Se tiver certeza, sendo pessimista e jogando para cima, dos GASTOS ANUAIS TOTAIS para viver, e usar de forma conservadora uma taxa de GANHO REAL de uns 4% (líquido de impostos e tudo mais) no atual momento, bastaria dividir esse valor por 4%.

    Tal do número mágico. Ex: R$ 100 mil de gastos anuais / 4 % = R$ 2,5 milhões de patrimônio.

    Patrimônio que “garante o principal” contra efeito da inflação (poder de compra no tempo) e ainda gera renda passiva suficiente para cobrir gastos para viver.

    Casa própria e outros bens que não geram renda estão fora.

    Matemática é simples, se aumentar denominador diminui o valor, ou seja, se conseguir taxa de retorno superior melhor.

    Mas veja que é GANHO REAL, descontada inflação (IPCA).

    Não temos como saber como estará daqui 10-20 anos.

    NTN-B 2024/2035 em teoria lhe dará um bom retorno líquido até acima desses 4%.

    Mas a inflação medida pelo IPCA retrata a realidade? A casa / comida que compramos hoje conseguiremos comprar daqui 10-20 anos?

    Uma carteira de ações mesmo madura, pode não dar o dividendo anual necessário em algum momento.

    Acumular e ter patrimônio para depender o menos possível de INSS e plano de saúde é sem dúvidas fundamental.

    Mas após muito ler, pensar, refletir, ainda vejo que o melhor investimento de todos é se DEDICAR ao seu trabalho, pois não existe melhor AÇÃO / FII com melhor dividendo que o fruto do trabalho.

    Trocar o certo pelo duvidoso, e sem um colchão de segurança “suficiente”, é jogar com a sorte para um futuro ainda mais incerto.

    Investimentos são meio, seguros, não fim.

    Como relato pessoal resumido, tenho 41 anos, casado, sem filhos, fonte única de renda, investi muito na minha profissão (técnico, superior, 4 mestrados/pós e doutorado), e sempre fui muito conservador e sempre consegui investir.

    Atingi esse ano o meu número mágico, mas incluindo casa própria, então ainda teria que seguir acumulando.

    Se jogasse a toalha hoje, conseguiria por recisões trabalhistas / PDV chegar muito próximo ao meu número mágico.

    Por que não faço?

    Obviamente gostaria de poder ter a liberdade de usar melhor meu tempo, e ter algum trabalho de meio período. Mente não pode parar.

    Por que vivendo num país como o nosso, e pra quem já viveu hiperinflação (anos 80-90) sabe como é, é muito complicado ter perfil moderado-agressivo e assumir riscos reais, o que jovens pós 1994-FHC nem pensam a respeito pois não viveram.

    Se daqui há 10 anos, mesmo com Plano B de dar aulas, por exemplo, ou Plano C de voltar ao mercado, não conseguir !? O que fazer?

    Se algum problema sério de saúde ocorrer comigo ou algum familiar, e mesmo com plano de saúde precisar cobrir custos exorbitantes? Se ficar impossibilitado de trabalhar?

    No meu caso, não consigo me ver trabalhando até os 65 anos, mas por pelo menos mais uns 10 e no máximo até uns 55 anos sim.

    Quando na verdade nem deveria pensar nisso, pois depois de tanto investimento profissional bem feito e bem sucedido deveria almejar e focar mais e mais no trabalho e crescimento profissional. Buscar ser mais produtivo, criador. Continuar a empreender. Sim, pode-se empreender na sua empresa mesmo como empregado.

    Por alguma razão infelizmente me perdi algumas vezes nesse caminho. A realidade a nossa volta é mais complicada do que gostaríamos.

    Mas por precaução ainda pretendo seguir esse plano que certamente me dará 3 vantagens fundamentais:
    1) Continuar e conseguir acumular mais por esse tempo
    2) “Garantir” um INSS maior e Previdência Privada maior, ou seja, mais “seguros”, mas principalmente
    3) Não precisar usar minha renda passiva durante esse tempo, e sim manter e continuar a reinvestir os dividendos

    No limite, mesmo se eu soubesse fazer uma conta de fluxo de caixa que até o último suspiro meu e esposa usasse o último real, ainda sim ficaria com o pé atrás.

    Como não tem como saber, ESTUDO e TRABALHO devem e seguem sendo o melhor investimento de todos.

    Pensar o contrário é seguir um caminho bem perigoso, para dizer o mínimo.

    Em 2006 achei que tinha descoberta a “fórmula” e quase joguei tudo pro alto. E depois quase perdi o emprego. Minha esposa me trouxe pra lucidez.

    Até existe um número mágico, mas não existe “fórmula” mágica.

    Existe trabalho, esforço, estudo e família! E Juros e Inflação. O resto é consequência.

    Bom trabalho e investimento a todos.

    Desculpem-me pelo texto longo.

  23. 23 Vô/ num vô!

    Esse assunto é bacana demais e vou dividir um momento com os senhores (as).
    Trabalho numa empresa multinacional, casado, 1 filho de 9 anos, 37 anos. moro numa cidade do interior de Minas.
    Financeiramente, o emprego deve ser o sonho de mta gente. Quase 400 mil bruto no ano.
    Tenho perfil gastador (sou de roça, nada de luxo, mas gasto mto) e razoável acumulação (imóveis, sítio e ações)
    O mundo corporativo e o clima de tubarão comendo tubarão sempre me incomodou muito e recentemente comecei a pensar em chutar o balde, pegar uma parte do que teria direito no FTS e previdência privada e passar (inicialmente) 6 meses com família estudando na austrália.
    Parece um sonho distante, mas com oque teria nessas duas fontes (FGTS e prev. privada) já seriam suficientes p passar com folga os 6 meses fora, portanto estou considerando que não precisaria desfazer de nenhum imóvel ou contar com aluguel para viver lá).
    Só que a mudança é sempre geradora de medo e eu sou mais cagão que a média, rs.
    Tirando o pulo no desconhecido, essa tentativa seria muito pouco negativa, analisando friamente as chances (talvez o maior impácto negativo fosse ficar fora do mercado por um tempo, mas isso pode ser bem entendido, já que estaria investindo em qualificação). E as experiências positivas que teria e daria p família, me empolgam demais!
    Pensei em ficar 6 meses estudando na Austrália, trabalhando de garçom ou coisa assim e tendo qualidade de vida ALTÍSSIMA!
    Hoje não desligo do trabalho hora nenhuma, comumente sou acordado a noite, trabalho fins de semana e durante todo o dia (com o avanço da tecnologia, trabalho hj quando estou fora, quase a msm coisa quando estou fisicamente no trabalho). A exceção é nos fins de semana q vou pra roça! ahhh, a roçaaaaa, rsssss
    Não sei se alguém aqui, além do leitão, conseguiu quebrar esse ciclo. Sei que aqui o blog é (teoricamente) pra outro fim, mas aqui já foi falado várias vexzes que a experiência de vida é o maior produto do blog!
    Desculpe se pareci presunçoso. só quis expor o momento que vivo e as incertezas que a vida nos presenteia.
    abraço turma e desculpe o longo texto.

    PS.: Leitao, dá um abraço no Heitorzinho!

  24. 24 Leitão

    Oi Roger! Oi “Vô/nun vô” (rss)!

    Parei tudo que estava fazendo agora para ler com calma e atenção o comentário de vocês, pois é muito bom! Obrigado! Isso enriquece demais o aprendizado de todos aqui, inclusive o meu!

    Já faz alguns anos que trabalho com uma pessoa que tem muita liberdade em sua rotina, tem renda para manter seu padrão de vida com tranquilidade, mantém sua família com dignidade, trabalha com grande alegria e satisfação no que faz, tem uma sabedoria de vida muito grande e prática, é íntegro e honesto, goza de excelente saúde tanto física quanto mental e possui um brilho nos olhos e uma sinceridade de vida rara hoje em dia. Ele é casado e sua esposa o ajuda em tudo e, apesar dos desafios da vida (que não são poucos), vive cada dia com muita propriedade e sem ansiedade. Confesso que ele é uma aula de vida pra mim. Esse homem é o pedreiro que trabalha comigo já alguns anos, tem 52 anos, vive num sítio com muitas galinhas e sua esposa cuida de 12 vacas leiteiras, 7 filhos e 3 cachorros…

    Penso que devemos sim trabalhar, estudar e fazer o melhor com os dons que Deus nos deu. Mas Ele também nos ensinou a vivermos sem ansiedade e de forma mais leve. Afinal, o dia de amanhã não nos pertence. Podemos partir dessa para melhor amanhã mesmo, com todos os nossos diplomas, carreiras, salários, bens materiais, amarras e mais amarras…

    “Liberdade financeira” não é a questão. A questão é só “liberdade”. E ela não passa pela questão financeira, passa pela questão existencial mesmo.

    Abraços!
    Leitão

  25. 25 Roger

    A matemática financeira é lógica, razão.

    Pra quem é de exatas parece o caminho mais natural, ou primeira coisa que pensamos.

    A paz de espírito, ser grato, satisfeito, viver leve e tranquilo, por outro lado, realmente é algo bem mais complexo e difícil, ou que tornamos difícil.

    Nesse ponto a liberdade talvez seja mais questão de evolução e mente mesmo.

    A forma de vermos e encaramos o mundo acaba soprebujando um aspecto em relação ao outro.

    Ainda mais num mundo cada vez mais imediatista e relações humanas mais complexas.

    Equilíbrio não é fácil de atingir.

    Exercício de cada dia.


Participe! Deixe um comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s