Quantas empresas devo manter em minha carteira de Ações?

14nov12

Veja outros posts sobre esse tema...
Recentemente os amigos leitores, Eduardo e Luiz, enviaram questões semelhantes que achei interessante resgatar como post. Vamos primeiro com o Eduardo, e na seqüência o Luiz (obrigado, pessoal!):

“Leitão, tudo bem! Estou matriculado no teu curso de Outubro e venho seguindo boa parte das tuas recomendações, acompanhando blog, lendo o seu livro… Sei que abordaremos com profundidade este assunto, mas gostaria de ouvir tua opinião sobre diversificação de carteira. Entendo que é um mecanismo para controle de risco, mas em um livro de Warren Bufett entendi que ele sempre teve um foco em poucas empresas, pois acreditava que muita diversificação minimiza os ganhos. O que acha?

Abraços, Eduardo B.”

———————————————————-

Oi Eduardo!

Tudo jóia!

Vamos estudar sobre essa questão que você colocou, e você verá tudo em detalhes. Mas já adiantando um pouco o assunto:

Warren Buffet é um grande investidor, com certeza. Mas nem tudo que ele faz se aplica ao investidor comum, e esse é um grande erro que os iniciantes em bolsa comentem: começam a ler livros sobre ele e acham que aqueles conceitos são aplicáveis a todos, quando na verdade não são.

A diversificação de carteira (diversas empresas de diversos setores) e de investimentos é um princípio fundamental para o pequeno investidor, é uma das formas de controle de risco e maximização de resultados (dentre outros que vamos estudar juntos).

Buffet pode concentrar muito capital em poucas empresas porque ele COMPRA literalmente a empresa, e passa a interferir em sua gestão. Ele analisa minuciosamente, compra e passa a ter seu sangue correndo nas veias da organização.

O pequeno investidor não tem esse poder, mas tem o poder de entrar e sair de sociedades diversas a qualquer momento. Já Buffet não tem essa vantagem, pois se compromete 100% com as empresa nas quais investe. Tanto Buffet quanto o pequeno investidor podem ter grande sucesso nos investimentos em bolsa, mas cada um no seu quadrado.

—————————————————————

“Oi Leitão, uma duvida conceitual: você acha ter 20 empresas de qualidade na carteira, muito? Ou está no limite do indicado?

Abs, Luiz”

——————————————–

Oi Luiz!

O mais importante é o que você descreveu: a Qualidade das empresas em carteira.

Algumas pessoas lêem sobre Warren Buffet e ficam achando que o que se aplica a ele aplica-se ao pequeno investidor, ou seja, Buffet gosta de comprar as empresas por completo e interferir em sua gerência, e para isso ele mantém menos empresas em carteira. Coisa que não cabe ao pequeno investidor. Tem gente que coloca 02 ou 03 empresas em carteira e fica achando que está fazendo igual ao Buffet, não é por aí…

Se puder manter 20 empresas de qualidade, ótimo! Quanto mais, melhor, desde que tenha condições para manter os aportes equilibrados entre elas e possa monitorar a qualidade de todas ao longo dos anos.

Sempre falo que um mínimo de 10 empresas é necessário, nunca menos que isso. Se puder manter alocações em mais empresas, e puder monitorá-las, melhor ainda. Uma coisa que não podemos ignorar é que sempre haverá uma parte de nossa carteira passível de nos decepcionar, por mais que tenhamos analisado com calma a cada momento. Não podemos evitar o erro, mas podemos minimizar os problemas e maximizar os bons resultados. O bom investidor não é aquele que nunca erra, mas aquele que administra bem as imperfeições.

Abraços!

Leitão

Leia também…

> Não baseie seu olhar apenas no índice IBOV!

> Sobre Futurologia nos Investimentos

> Fundos de Ações são melhores para quem tem pouco dinheiro a aplicar?

Copyleft - Compartilhe! É livre! Envie para seus amigos...


25 Responses to “Quantas empresas devo manter em minha carteira de Ações?”

  1. Excelente post Leitão!

    Nada melhor que uma carteira recheada empresas de qualidade para nos proporcionar um retorno acima da média com um risco mínimo.

    Abraço,

    Fulgêncio Bomtempo

  2. 2 Luiz

    Leitao, aproveitando, supondo que temos 20 empresas, entende-se que devemos buscar um equilibrio igualitario, ou seja, neste caso 5% em cada, ou carregamos mais nas blue chips e menos nas small caps? Abs, Luiz

    Ps: se puder comentar, que horizonte de tempo devemos considerar para ver se estamo vencendo o indice ibovespa? Imagino que as vezes uma carteira com boas empresas pode perder para o indice se considerar um ano somemte, correto?

  3. 3 Luiz

    Leitao, Petr4 esta chega do perto dos 18 reais, chega do novamente é interessante para IV? Abs

  4. 4 Glauco Tonello

    Luiz
    cada pessoa pensa de maneira diferente com relação aos pesos. eu por exemplo tenho 4 setores maiores(10 empresas e 80% no total, média de 8% cada) e um menor(5 empresas e 20% ao total e 4% cada).

    espero ter ajudado

    Glauco

  5. 5 Leitão

    Oi Fulgêncio! Valeu!

    Oi Luiz!
    O Glauco já deu uma boa dica…. Mas fica a gosto de cada investidor.
    Sobre tempo, carteiras jovens com menos de 5 anos ainda estão em construção… Depois disso a maturidade e o efeito dos investimentos começa a surgir e não decepciona mais. Mas isso mantendo estratégia ativa, não é só comprar e esquecer. O popular e fraco buy-and-hold não é um estratégia inteligente.

    Abraços!
    Leitão

  6. 6 omni

    oi leitao

    quais setores voce considera fundamentais numa boa carteira, e quais outros tb sao interessantes?
    e quais sao furados? hehehehh
    gostaria da opiniao dos colegas tb
    abraco

  7. 7 Leitão

    Oi Omni!

    Em todos os setores vamos encontrar boas e más empresas para se investir. Não existe um preferido. O importante é se esforçar para diversificar os setores e buscar as melhores de cada um.

    Algumas vezes vamos encontrar mais de uma empresa de qualidade em um mesmo setor. Não é pecado ter mais de uma neste caso. Mas sempre que puder, diversifique.

    Claro também que em alguns setores é difícil encontrar alguma empresa realmente interessante, e então, nesses casos, ficamos sem nenhuma do dito setor… Por exemplo: O setor de aviação/transporte aéreo é bem crítico, não dá lucro.

    Um abraço!
    Leitão

  8. 8 Luiz

    Oi Leitao, obrigado. Ficou uma duvida, vc comentou de evitar o buy and hold e fazer uma estrategia ativa, isto quer dizer ficar em movimento comprando e vendendo comalvos pre estabelecidos ou vc quis dizer continuar comprando gradual (evitar vendas) ao inves de comprar somente uma vez e esquecer? Abs, Luiz

  9. 9 JayQuest

    Por Setor, logo de cara, não é fácil nem conveniente.

    Primeiro passo, analisar as empresas…que geram valor, reconhecem a necessidade dos acionistas (distribuem proventos), não estão estrangulados por concorrentes externos na macro-economia, e se possível sem muita intervenção populista governamental, sem pendências tributárias, e sem ações judiciais seja lá qual motivo for (trabalhista, ambiental, saúde e segurança ocupacional, reclamações de clientes)…então…nenhuma é perfeita.
    Porém, investidor em mercado de capitais, priva por resultado de lucros essencialmente, ponderando ou não os casos anteriores acima.
    Vai se ter uma lista de empresas.
    Aí sim, pode-se então ponderar por setor, distribuir entre as melhores empresas de cada setor. Qual setor é bom ou ruim…vai perceber pelo resultado das empresas que o compõe.
    Compare por exemplo, resultado de lucros de empresas do setor de telefonia ou aéreas com o setor de bancos. Vai perceber a diferença. Mas nada impede de por algum critério que o investidor decida por alguma empresa de telefonia ou aérea.
    Outro ponto, não é conveniente, só porque setor bancos (por exemplo) estiver melhor deva-se investir apenas no setor bancos. Um bom equilíbrio entre empresas e setores é saudável para qualquer carteira.
    Se um setor ou empresa ‘afunda’, não leva a carteira toda. Outras empresas, outros setores, mantém a sustentabilidade dos investimentos.

    Saudações.

  10. 10 Daniel Alcântara

    Leitão,

    O que você pensa à respeito das empresas portobello. grendene e a amil?

    Analisei o histórico de suas cotações e achei bem interessante. Só não sei se elas conseguirão manter um crescimento consistente.

    São empresas boas e bem administradas?

    abraço!

    Daniel Alcântarah

  11. 11 Tiago

    Olha, sobre porcentagem de cada acao em um carteira, vi muitos aconselhando a deixar tudo igual… a mesma porcentagem em valor para cada tipo de acao.

    Venho aqui dar outra dica: Existem tecnicas de reducao de volatilidade de portfolios baseado na correlação entre as ações. Se voce quer ter empresas boas em sua carteira e ao mesmo tempo maixa volatilidade, essas tecnicas são muito interessante.Principalmente quando estamos em bear market!!!

  12. Leitão, particularmente acredito que entre 6-12 empresas (dependendo do capital investido) seria o ideal. Muitas empresas diminuem o risco, mas também o retorno visto que o investimento fica muito pulverizado. Um abraço!

  13. 13 Leitão

    Oi “Rico por acaso”!

    Entendo, pode ser uma questão de gosto pessoal, pois cada pessoa vai ter uma inclinação pessoal para se dedicar mais ou menos à sua carteira.

    Mas realmente a noção de que “mais empresas pulveriza e diminui os rendimentos” não é correta. Na verdade é o contrário. Ao ter mais empresas em carteiras (desde que bem selecionadas, de qualidade) maximiza as chances de maior retorno, e minimiza as consequências negativas de eventuais falhas…

    Mas repito: Tem que ser empresas de qualidade, dentro do que é possível cada pessoa analisar. Não adianta ter uma carteira cheia de ações aleatoriamente, sem noção… O índice IBOV, por exemplo, tem 100 ações, e a minoria presta…

    Um abraço!
    Leitão

  14. 14 Anônimo

    Leitão, tenho dúvidas quanto ao tempo adequado para o ciclo de compra de uma carteira de IG. Por exemplo:

    No caso de alguém resolva montar uma carteira 18 empresas ou mais, e que seja um pequeno investidor, que só possa aportar em uma empresa por mês, logo cada “rodada de compras” duraria 1,5 ano (18 meses). Não seria tempo demais?
    Acredito que manter um número elevado de empresas em carteira para IG seja mais viável para aqueles que aportam em duas ou mais empresas por mês.
    Aquele que aporta valores pequenos, que tornem mais de uma compra por mês inviável, devem ter uma carteira menor com até 14 papéis ao meu ver. Acho que demorar 1,5 ou 2 anos para voltar a comprar o papel, seja um prazo muito longo, e que poderia atrapalhar na estratégia por não fazer um preço médio adequado ao longo do tempo.
    Estou errado? Qual seria o tempo ideal para cada ciclo de compra completo na carteira?

  15. 15 Leitão

    Oi “Anônimo” (Você esqueceu de dizer seu nome ou nickname)!

    Não existe um ciclo padrão ideal, mas claro que em torno de 12 meses está de bom tamanho. Girar mais ou menos não vai influenciar tanto. Se puder girar mais, ótimo. Senão, não há problema, desde que se tenha em mente um horizonte de tempo razoável, ou seja, pelo menos uns 5 anos, sabendo que a bolsa vai trazer ciclos de alta e de baixa, e em ambos os os ciclos a estratégia deve ser mantida.

    E hoje em dia, com as taxas de corretagens cada vez mais baixas, não é difícil comprar duas por mês se for preciso, mesmo que seja pequeno valor… Muitas corretoras mantém taxas para compra no fracionado bem baixas, e também tem opção por percentual ao invés de taxas fixas, e sem falar que se você comprar uma vez por mês fica isento de pagar taxa de custódia, etc… Com um pouco de pesquisa encontra-se boas opções para manter o custo de compra bem baixo…

    Um abraço!
    Leitão

  16. 16 omni

    olha eu aqui “traveiz”…

    ainda no assunto: quais setores funcionariam como hedge um para o outro ? acho fundamental termos setores opostos que nos protejam em quaisquer situacoes !

    abraco

  17. 17 Luiz

    Oi Leitao, empresas de consumo como Ambev, Natura, Grendene, que neste ano tiveram grandes altas, acredita que ainda tem espaco para bons frutos em 2013/2014? Abs, Luiz

  18. 18 Leitão

    Oi Omni!
    Ao ter uma carteira diversificada automaticamente terá empresas de diversos setores, complementares e/ou opostos. Não se preocupe tanto com a questão “setor”, dê mais atenção à cada empresa individualmente.

    ————————————————
    Oi Luiz!
    Quando nos tornamos sócios de boas empresas acreditamos que elas vão continuar dando bons frutos, não só esse ano ou no ano que vem, mas muitos e muitos anos.

    Se não fosse assim eu teria que ficar trocando de empresas a cada primavera.

    Mas descole seu pensamento apenas do gráfico de preços. Tem que olhar mais alto que isso… Tem que ter Estratégia. Quando animar vir para a turma você vai entender melhor…

    ——————-
    Abraços!
    Leitão

  19. 19 Daniel Alcântara

    Olá leitão, tudo jóia!

    A petrobras e a vale, se pensadas no prazo de mais de 10 anos, ainda são empresas que valem à pena?

    abraço!

  20. 20 Luiz

    Leitao, obrigado, estou na duvida, melhor uma empresa que domestica que cresce lucros consistentemente mas pode estar cara ou uma empresa ciclica que pode estar barata mas que pode demorar alguns anos para cotacoes voltarem a crescer? Quem sabe fazer IV em uma e IG em outra, seria isso? Abs, Luiz

  21. 21 marco antonio

    Leitão desejo atuar no mercado com investidor e especulador (position ou swing), montei uma carteira para investimento e formação de patrimônio com 20 empresas e faço todo mês a compra de ações de duas ou mais empresas para essa carteira, nesse aspecto de formação de patrimônio a longo prazo estou bem tranquilo, minha duvida é em relação a parte especulativa: 1 seria interessante ter duas corretoras uma pra acumulo e outra pra especulação? 2 posso especular também com os ativos da carteira de acumulação ou isso me traria problemas?

  22. 22 Leitão

    Oi Marco!
    Pelo visto você já está no caminho certo. Procure manter aportes fixos, valores fixos e manter o rodízio disciplinado mantendo todas equilibradas.

    Sobre suas perguntas:

    1) Não há necessidade de ter duas corretoras, basta separar cada coisa em planilhas excel para cada fim… mas é questão de gosto. Se fizer tudo em uma corretora confiável e barata pode ficar mais simples, baixar custos de custódia, etc…

    2) Você pode especular com as mesas Empresas que já investe. Mas desde que, a caba Especulação, faça uma compra de uma qtde determinada extra e depois venda essa mesma qtde determinada. As ações já guardadas não se mexe, você vai comprar e vender qtdes exclusivas para fins de especulação. Separe bem cada operação em planilhas…

    Abraço!
    Leitão

  23. 23 marco antonio

    Leitão meu maior receio seria a receita federal não conseguir diferenciar a compra e venda de ações com o intuito especulativo, da compra continua e sitematica de ações com intuito de formação de patrimônio, por exemplo eu tenha adquirido 1000 ações de um empresa em 5 anos e que cada ação esteja saindo a um preço de 10 reais, quando eu for especular com essa ação o meu lucro da venda sera calculado sobre esses 10 reais ou sobre o preço de compra da ação no momento atual. obrigado

  24. 24 Leitão

    Oi Marco!
    No que se refere a IR é sempre uma novela mesmo, não há consenso nem entre os maiores detalhistas do assunto.

    A receita também não enxerga isso muito bem, não consegue ver o nível de detalhes…

    O que se pode fazer é ter uma planilha para Investimento, outra planilha para Especulação (tratando cada coisa bem separadamente para seu controle pessoal) e uma terceira planilha para IR, onde vai tratar todas as compras juntas, apenas para efeito de apurar o preço-médio do IR… Veja se isso vai lhe atender e tente achar um meio termo usando o bom senso mesmo…

    Abraço!
    Leitão

  25. 25 marco antonio

    Valeu Leitão! muito obrigado pelas respostas!


Participe! Deixe um comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s