Previdência Privada e Feijão Tropeiro

24nov09


Outro dia, em um churrasco com os amigos, à beira do fogão a lenha, estava ouvindo meus amigos conversando sobre Previdência Privada.

No fogão estávamos fazendo um belo feijão tropeiro com uma couve mineira refogada no alho e óleo.

Enquanto isso a conversa seguia… Um dizia que está preocupado com o futuro e que não confia na Previdência do governo, e que tinha iniciado uma previdência privada com 100,00 por mês, visando lá adiante depois dos 60…. Outro, disse que era mais agressivo, e estava colocando 150,00, para adiantar um pouco lá para os 50.

Eu fiquei só observando aquela conversa enquanto dava umas colheradas na panela de tropeiro…

Enquanto isso eles continuaram. Um dizia que com mais 20 anos de contribuição estava livre de trabalhar, outro mais “otimista” dizia que com mais 15 anos estava finalmente livre, e que não aguentava mais ir na empresa todo santo dia (já tinha mais de 20 anos de firma).

Derrepente viraram pra mim, me censurando sobre as colheradas na panela, e me perguntando: “- E você, Leitão? Tem previdência privada? Quando vai se aposentar?”

Eu disse: “Não tenho previdência privada não, é fria! Você dá seu dinheiro para um terceiro administrar, ele faz isso mal feito e ainda lhe cobra por isso, e não devolve seu dinheiro! Vou me aposentar ano que vem!”

Um já deu uma engasgada com um pedaço de carne assada, o outro pegou um copo de pinga e virou….

—— // ——

Gente, não tem coisa melhor do que nós mesmos administrarmos nossa poupança, e nossa aposentadoria. E não há lugar melhor para isso do que na Bolsa de Valores. Mas isso sem jogatinas, sem oportunismos tolos, etc…. De forma disciplinada, consciente, consistente, chegamos lá, e antes do que a gente imagina.

Tenho amigos muito próximos que são excelentes profissionais, muito inteligentes e competentes, mas que têm pouca educação financeira, e zero educação para Investimentos e bolsa de valores. É uma pena, pois querendo ou não, estamos em um sistema capitalista, e precisamos aprender a lidar com dinheiro.

Vejo muitos amigos bons em ganhar dinheiro, mas depois não sabem o que fazer com ele. E ganhar dinheiro sem saber o que fazer com ele é o mesmo que pegar água com balde furado…

Abraços e bons investimentos!
Eduardo Leitão
——————————————
*Quer comentar? Alguma dúvida? Deixe uma mensagem, vamos conversar…

Leia também…

> Renda Fixa é investimento de alto risco!

> Caverna do Dragão

> Mercado de Ações, por quê?

Copyleft - Compartilhe! É livre! Envie para seus amigos...


58 Responses to “Previdência Privada e Feijão Tropeiro”

  1. É isso aí Leitão! Também não gosto (nunca gostei) da idéia de terceiros administrar o que é meu. Além do mais, é muito prazeroso operar no mercado, além de aprender bastante e poder contribuir com aqueles que queiram caminhar por essas estradas.

    Agora… fiquei com vontade de comer um tropeiro… hummm!!

    Abraço.

    Phillip – Belo Horizonte/MG

  2. 2 Leitão

    Oi Phillip!
    Conterrâneo!

    Pois é, é bem melhor dirigir do que ir de carona nesses casos :-)

    Hoje não dá mais tempo, mas amanhã vou providenciar um tropeiro… também fiquei com vontade.. hehheh

    Abraço!
    Leitão

  3. 3 Betão

    Oi Leitão,

    Camarada, não perco um movimento sequer do seu blog, assim como do mercado. Esse tropeiro aí ficou jóia demais viu…
    Sensacional esse artigo aí… rsrsrsrs Mais uma cobra morta! Só que essa foi nas colheradas.

    Abraços, Betão.

  4. 4 Leitão

    Heheheheh!!
    Fala Betão!

    Bom te ver por aqui! Some não!

    O feijão hoje não dá, mas a couve vou dar um jeito! :-)

    Abração!
    Leitão

  5. Grannnnnnnnnnnnnnnnnnnnde leitão, cada vez mais seu fã.
    Assim não vai ter jeito, leitão presidente, de um paulista para um mineiro.

  6. 6 Jeferson da Luz

    Muito bom Leitão

    Parabéns pelo tópico, muito legal

    Abraço

  7. 7 Leitão

    Oi Cláudio! Oi Jeferson!

    :-)

    Valeu, pessoal!

    Abraço mineiro!
    Leitão

  8. 8 Douglas

    Olá Leitão,

    não sei se foi uma metáfora ou se aconteceu realmente. Mas em uma roda com meus amigos a conversa não pararia por aí.
    Por favor, não entenda como uma crítica.
    Eu acredito que se alguém dissesse que se aposenta no próximo ano seria no mínimo interrogado sobre: “Como?”
    Eu particularmente interrogaria o amigo sobre como fazer o mesmo. Talvez seja por isso que eu não tenho um amigo desses :(

    Bom, pra finalizar, deixa algumas pistas de valores Leitão. Muitos dizem, reservar uma parte do salário para investimento. Tá, eu até reservo, mas as vezes fico me perguntando, pra quê? Quando vou colher os frutos desse investimento? Um ano, cinco anos, trinta anos? Eu vou mesmo aguentar 30 anos com esse dinheiro lá?

    Desculpa pelo comentário extenso, talvez eu devesse usar o chat. Mas achei o post interessante.

    Parabéns pelo trabalho e pela aposentadoria prematura.
    Abraço.

  9. 9 Nery

    Grande Leitão!
    É muito bom fazer a própria comida ou ver alguém que sabe fazer. Graça ao seu curso agora eu sei fazer a minha comida ou melhor agora eu sei quem sabe cozinhar bem e copio as receitas.
    Grande abraço
    Nery

  10. 10 Leitão

    Oi Douglas!
    Tudo bem! Eu entendo…

    Na verdade a conversa seguiu mais sim e entre uma cerveja e outra falamos muito sobre o assunto… E o feijão tropeiro ficou ótimo depois de pronto! :-)

    E essa conversa segue aqui no blog todo dia. Ao longo de todo o blog venho dando as dicas. Se você for lendo o blog, principalmente os comentários passados, vai ver que falamos muito disso por aqui.

    Aposentadoria não é sinônimo de ociosidade. Aposentadoria significa não precisar mais trabalhar para manter seu padrão de vida. Mas não quer dizer que não vou continuar trabalhando, até porque gosto do que faço. Mas é muito bom fazer o que gostamos sem ficar pensando no salário no final do mês.

    Eu entendo essa sua ansiedade. Também já passei por isso. Olha, não é difícil, e não tem segredo: 1) Gaste menos do que ganha; 2) Guarde essa poupança todo mês 3) Faça essa poupança render (aí entra o mercado de ações, que é a melhor opção) e 4) Tenha disciplina e força de vontade para manter isso ao longo dos anos.

    Matematicamente é fácil. O difícil é ter a maturidade e disciplina para isso. Aí é que o bicho pega. Pois ao longo do caminho muita coisa vai querer desviar você de sua rota… (Ah! E não precisa ser mão-de-vaca e levar uma vida puritana cheia de privações para isso não…).

    Para crescer financeiramente, primeiro é preciso crescer pessoalmente.

    Vale essas dicas aqui:
    https://leitaoemacao.wordpress.com/2009/01/12/frase-para-pensar-james-arthur-ray/

    E veja:
    https://leitaoemacao.wordpress.com/2008/09/14/rico-vs-pobre-por-leitao/

    Abraço!
    Leitão

  11. 11 Leitão

    Oi Nery!
    Obrigado!

    Eu é que fico feliz em ajudar, e servir uma boa comidinha mineira ao amigos! :-)

    Grande abraço!
    Leitão

  12. 12 JOAO

    Pelo menos, esse que virou o copo de pinga, fez algo de bom, porque, certamente essa deve ser mineira…..Grande abs Leitao…..Bela materia…

  13. 13 Leitão

    Oi João!
    Hehehehe! Realmente, a nossa cachaça mineira aqui é jóia mesmo! Não pode faltar em um bom churrasco! :-)

    Abraço!
    Leitão

  14. Leitão, este artigo foi publicado ontem no Diário do Grande ABC

    Ações de empresas também são presentes para filhos
    Sérgio Toledo
    Do Diário do Grande ABC

    Um presente que pode render R$ 1 milhão. Essa é a aposta de alguns pais que presenteiam os filhos com ações de empresas. Poucas pessoas sabem, mas é possível investir em uma carteira e registrá-la no nome de alguém com menos de 18 anos.

    Como este “presente” é de longo prazo, o rendimento da aplicação pode chegar até a superar 3.000%. “Quanto mais longo o prazo, melhor”, diz o diretor de varejo da WinTrade, Paolo Mason. “Um ano é curto prazo.”

    De acordo com cálculos da WinTrade, se um pai, há dez anos, tivesse presenteado o filho com R$ 500 aplicados em uma carteira com ações da Petrobras, Vale, Bradesco, Cemig e Telemar, sendo R$ 100 para cada empresa, o retorno no início deste mês seria de 2.407%. Ou seja, o presente de dez anos atrás valeria hoje R$ 12.532,69.

    Outro exemplo é uma criança presenteada, em dezembro de 1998, com R$ 100 em ações preferenciais da Petrobras. Neste mês, o retorno seria de 3.365%, pois cada ação na época valia R$ 1,03, valor que passou para cerca de R$ 35.

    Um presente como esse, segundo Mason, pode garantir o estudo em uma universidade particular. “Esse investimento pode pagar a faculdade do filho ou até mesmo ajudar na compra do primeiro carro ou do primeiro apartamento.” O importante é sempre pensar no longo prazo, conta o diretor da WinTrade.

    Mason cita o exemplo de uma garota que comprou um carro e pagou os estudos universitários com o retorno das aplicações, presente de um tio, há 20 anos. “O segredo é comprar e não vender as ações, e sim comprar mais.”

    Para presentear o filho com ações, o primeiro passo é que a criança ou adolescente tenha CPF e o representante legal, conta em uma corretora. A partir deste ponto, o responsável pode enviar o dinheiro para montar a carteira de ações. Não há valor mínimo para iniciar o investimento.

    O diretor da WinTrade aconselha escolher as empresas já consolidadas. Segundo ele, uma boa carteira deve ser diversificada e reunir grandes empresas, como Vale e Petrobras, bancos, companhias de energia elétrica, siderúrgicas e empresas de varejo, como Pão de Açúcar e Lojas Americanas. “Petrobras, Vale e Gerdau têm investimentos programados para os próximos anos, por isso são boas apostas para o longo prazo”, conta.

    “Dessa maneira, os pais incentivam seus filhos desde pequenos a lidar com dinheiro e, ao longo do tempo, a também cuidar dos seus próprios investimentos. Trata-se de uma nova geração, que já cresce educada para a Bolsa”, afirma Mason, que diz que a aplicação em papéis na BM&FBovespa sempre supera os investimentos em CDI (Certificado de Depósito Interbancário), “mesmo em tempos de crise”.

    Em vez de brinquedos, papéis na Bolsa
    O brinquedo de hoje pode virar um carro no futuro. É dessa forma que o diretor da feira de investimentos Expomoney, Raymundo Magliano Neto, planeja o futuro dos dois filhos, uma menina de 10 anos e um menino de sete.

    Desde que nasceram, Magliano aplica em um clube de investimentos em que os participantes são cada um de seus filhos. “Comecei com aplicações de R$ 31. Agora, todo mês invisto R$ 50 para cada.” O objetivo é pagar a faculdade. “Caso estudem em uma universidade pública, podem comprar um carro.”

    Na estratégia traçada por Magliano, os filhos só vão fazer o resgate do dinheiro quando precisarem. “É um investimento de longo prazo.” Por este motivo, ele conta que o perfil do clube é agressivo, já que para os jovens o investimento pode ser mais arriscado, o que não é o ideal para pessoas mais velhas.

    Magliano entrou no clube através do convite de um amigo. “É um clube voltado para crianças. Não aceita participantes com mais de 18 anos. A carteira de ações conta com seis empresas, entre elas Vale e Petrobras.

    “Será que eles precisam ganhar oito presentes no Natal? Não pode ser um só e com o dinheiro dos demais faço uma aplicação pensando no futuro deles?”, indaga o diretor da Expomoney. “O mesmo serve para ovos de Páscoa. Não precisam de muitos.”

    Para ele, quanto mais cedo se começa a investir, menos dinheiro é necessário aplicar. “O montante que vai ser investido em ações tem que ser um montante de que a pessoa nunca vá precisar. O dinheiro para o mercado acionário, não é o mesmo para pagar o médico.”

    Magliano diz que todo mês mostra o saldo do fundo para os filhos. E eles já começam a assimilar essa educação financeira. “Minha filha ganhou um dinheiro do avô e quis aplicar nas ações.”

    De acordo com ele, esse investimento de longo prazo é um excelente negócio não apenas para crianças, mas também para os pais assegurarem a aposentadoria. “Para os filhos, o horizonte é de 50 anos. Para os pais, de 20 anos.” Magliano conta que, geralmente, as pessoas só começam a pensar em poupar dinheiro para o futuro após os 40 anos.

  15. 16 Leitão

    Oi Iberê!
    É isso mesmo! Muito bom artigo!

    E nunca é tarde para começar. Quem começa cedo, tem menos dinheiro mas mais tempo. Quem começa tarde, tem menos tempo mas mais dinheiro. Então, cedo ou tarde não importa, o negócio é começar!

    Abraço!
    Leitão

  16. 17 Anônimo

    Oi Leitão

    Férias fazem bem, heim! Até escreveu um texto mais agradável. rs. O melhor de todos os investimentos é o investimento nas amizades e no lazer com os amigos. Esse gera lucros no presente e para o futuro. E você parece ter desenvolvido um meio consistente de investimento em amigos virtuais também. :-)
    Amigos que estão na mesma caminhada: mais do que na de buscar dinheiro, a de buscar uma vida melhor aprendendo a lhe dar com o dinheiro. É isso aí.
    Iberê, essa matéria aí é uma boa para refrescar a mente da galera sobre a importância de se pensar tb no futuro dos guris (eu ainda ei de ter alguns). Ler sempre faz bem e é essencial tb no que se refere a investimentos. Mas nós devemos sempre ler esse tipo de matéria com algum ceticismo. As coisas estão parecendo muito fáceis nela. Um texto do analista Bob Browson, num relatório divulgado recentemente diz: “O mercado americano não está apenas no mesmo nível de 13 meses atrás, mas também no mesmo nível em que estava há dez anos”. Portanto, engana-se quem pensa que basta investir e cruzar os braços e da forma em que está naquela matéria dá essa dá impressão que basta aplicar e esperar. O que ocorreu lá nos EUA serve de lição tb pra nós brasileiros, ainda que nosso prognóstico seja melhor.

  17. 18 Vlad - Contagem/ MG

    Esqueci de enviar meu nome no texto anterior

  18. 19 Neilor

    Ótimo comentário Leitão,

    Eu sou um que tem previdência privada. Comecei a aplicar em previdência privada em 2004. Ultimamente estou fazendo umas análises e os encargos que os bancos cobram são muito altos (taza de carregamento, taxa daquilo e isso). Estou pensando seriamente em retirar o dinheiro e encerrar a previdência privada e usar o dinheiro que aplico nela todo mês para investir na bolsa. Assim, consigo aumentar meus investimentos na renda variável.

    Infelizmente, no momento que iniciei a previdência privada eu não tinha o conhecimento financeiro que tenho hoje e por isso acabei pensando como no artigo publicado pelo Leitão. “Não confio na previdência do governo, por isso decidi investir em previdência privada.”

    Mas agora ainda dá tempo de reverter o processo.

  19. 20 Leitão

    Oi Vlad!
    Pois é, aquele sol do nordeste me fez bem mesmo :-)

    E sobre o tal “longo-prazo”, é realmente uma meia-verdade, e ninguém conta pra gente isso. De nada adianta “longo-prazo” se você não sabe selecionar empresas e montar uma estratégia para uma carteira de ações – sem isso, é como esperar ônibus no ponto, só que no ponto errado.

    Abraço!
    Leitão

  20. 21 Leitão

    Oi Neilor!
    Obrigado!

    E dá tempo sim! Reveja mesmo essa questão pois vale a pena. Tempo é dinheiro, literalmente.

    É como eu disse logo acima para o Iberê:
    “… nunca é tarde para começar. Quem começa cedo, tem menos dinheiro mas mais tempo. Quem começa tarde, tem menos tempo mas mais dinheiro. Então, cedo ou tarde não importa, o negócio é começar!”

    Abraço!
    Leitão

  21. 22 Laenir Ana

    Olá Iberê!
    Homens e mulheres têm a mesma preocupação quanto ao futuro financeiro dos filhos.
    Eu tenho duas filhas.Muito boa essa reportagem.Dar de presente ações para os filhos.Boa sugestão.

  22. 23 Gilson

    Gostei do post…tenho previdencia privada e venho estudando, para procura de forma segura, outras alternativas…grato

  23. 24 Leitão

    Oi Gilson!
    Obrigado!

    Pois é, vale a pena perder o medo do mercado de ações, e buscar coisa melhor do que os bancos comerciais nos oferecem… Na verdade, os bancos comerciais no Brasil lucram muito com nossa pouca educação financeira, é um fato isso.

    Abraço!
    Leitão

  24. 25 Mônica

    Prof, você pra variar falou tudo!
    O medo e a falta de educação financeira é o maior motivo das pessoas pensarem que a bolsa é um jogo de sorte e azar, sem contar que muita gente pensa que pra ganhar dinheiro tem que ficar o dia inteiro no maior estress e com os olhos “grudados” no HB.

    Laenir Ana, minha sobrinha ainda nem nasceu e já estou pensando em presentea-la com ações!
    Dá pra fazer uma boa poupança com tantas datas especiais como: Natal, dia das crianças, aniversário, Páscoa, graduação de pré, graduação de primário, segundo grau…. vou me divertir fazendo isso :-D

    Boa semana pra todos!

  25. 26 Leitão

    Hehehehe! Essa é minha aluna! Minha Capela Cistina! (Obra-prima de Michelangelo) :-)

  26. 27 Mônica

    hehehehehehehe
    É prof, eu aprendi!

  27. 28 Xuxa

    Caro Leitão:

    No caso do PGBL, onde ocorre a dedução de 12% na renda tributável anual para efeitos de pagamento do IR (na verdade, há diferimento do IR, que será pago REGRESSIVAMENTE, conforme o tempo em que o dinheiro ficar aplicado – chegando a 10% a partir dos 10 anos), como você vê o caso de alguém que aplica estes “12%” para efeito de ter uma restituição maior do IR?

    Caso prático:

    Sujeito ganha R$ 100.000,00 e contribui com R$ 12.000,00 em um PGBL. Considerando apenas esta dedução, teremos uma restituição equivalente a mais de R$ 4.000,00 (arredondando – 27,5%).

    Neste caso, teríamos aplicado R$ 12.000,00, que irão “a princípio” render por 10 anos mas, na verdade, foram aplicados somente R$ 8.000,00: sobre R$ 4.000,00 (que recebemos) ainda vãi continuar a “render”, mesmo a gente já tendo recebido e, caso entenda, até investido em outra coisa.

    Considerando este horizonte de 10 anos e o fato do diferimento do IR, você não acha uma boa idéia?

    Concordo com você que, para efeito de aposentadoria, é um péssimo negócio mesmo…

  28. 29 Leitão

    Oi Xuxa! (eheheh, gostei no nickname :-)
    Seja bem vindo (ou será bem vinda?) aqui no blog! Acho que é seu primeiro comentário aqui, não é? Fique à vontade aqui na minha cozinha mineira!

    Bem, não sei bem como funciona esses detalhes ligados à tributação e os famigerados fundos PGBL…. Mas, a grosso modo, são ruins mesmo. Uns com um benefício aqui, outros com outro alí… Mas em resumo é produto enlatado feito pelos bancos para quem tem preguiça de aprender a investir, e com isso quem ganha mesmo são os bancos.

    Mas antes ter alguma disciplina de poupança do que não ter nenhuma. Isso é verdade…

    Grande abraço!
    Leitão

  29. 30 Xuxa

    Realmente, foi meu primeiro comentário aqui no blog. Vi o link na Comunidade “BM&F Bovespa” e fiquei curioso para ver seu ponto de vista sobre o assunto.

    Como te falei, a meu ver, a única “vantagem” de se aplicar em um PGBL é no caso acima, onde o sujeito encontra-se na última faixa de tributação do IR e vai usar os aportes para “atrasar” o pagamento do IR.

    Sem entrar no mérito de quem sai ganhando “mais” (concordo que não “somos” nós – heheeh), pretendi fazer uma explanação do que entendo ser “vantajoso”, do ponto de vista da diversificação e alocação dos recursos em diversos “meios”. Eu, por exemplo, tenho dinheiro investido em Imóveis, Ações, Criação de Gado Bovino, Poupança (apenas para me fornecer liquidez em caso de algum “bom” negócio” e Previdência Privada (esta última eu utilizo para atrasar o pagamento do IR e deixar a cota do Leão “trabalhando” para mim.

    No exemplo que citei, ao fazer um aporte de 12.000,00 no primeiro ano (recebendo R$ 4.000,00 na Restituição do IR), na verdade, “aplicamos” somente R$ 8.000,00. No segundo ano, podemos pegar estes R$ 4.000,00 e colocar mais R$ 8.000,00 (totalizando R$ 12.000,00) e, no ano seguinte, pegarmos R$ 4.000,00 de restituição. Desta forma, teríamos “de fato” aplicado somente R$ 16.000,00, apesar de termos R$ 24.000,00 investidos no PGBL… E assim sucessivamente.

    Depois (se te interessar, evidentemente) dá uma olhada nas regras de Tributação para efeito de IR no caso dos PGBL. Acredito que seja uma estratégia interessante nestes termos, levando em consideração a diversificação e a comparação com outros tipos de “renda fixa” (lembrando que os PGBL também tem fundos que aplicam em renda variável – os que aplicam, basicamente, em títulos do tesouro, tem rendido, em média, 7% a.a.).

  30. 31 Leitão

    Oi Xuxa!
    Muito bom! E essa diversificação é correta mesmo. Gostei da forma como administra os investimentos!

    Estratégia é fundamental mesmo, e quanto mais esforço na administração dos recursos, melhor o retorno. Tem gente que diz que mais risco é igual a mais retorno, o que é uma mentira. Mais administração é igual a mais retorno, isso sim!

    Grande abraço!
    Leitão

  31. 32 El

    Feliz ano novo ( sempre ) Leitão!

    eu e minha namorada ( que paga previdencia privda ) estavamos conversando sobre isso esse fim de semana, tentei demonstrar a vantagem de, ao menos, investir esse dinheiro atraves de um fundos de açoes e surgiu uma dúvida:

    1- no caso da quebra de um banco, o dinheiro aplicado em um fundo de ações tem garantia?

    2- na quebra de uma corretora, tem garantia?

    3- e no plano maluco do ( deveria estar ) falecido Collor, o que ocorreu com quem tinha ações em fundos ou em corretora?

    ( sei que vc é contra fundos de ações de bancos, mas para quem não pretende realizar saques, e não deseja abrir conta em corretora, acho que é uma opção melhor que previdencia privada ).

    grande abraço, acho que em breve vou finalmente poder fazer seu curso( depois vou tirar algumas dúvidas contigo ).

  32. 33 Leitão

    Oi El!
    :-)

    Vamos lá:

    1) Olha, posso estar enganado, não sei dizer com certeza agora, mas em Fundos seu dinheiro está atrelado ao banco… então, se ele quebra, acho que fica prejudicado sim… não sei dizer, mas acho que o Governo não garante fundos não (CDB acho que o governo garante até 50 mil só). Mas o bom é você tirar essa dúvida direto com seu gerente do banco mesmo.

    2) Ja ações diretas via corretora, não tem problema. A corretora pode quebrar que seu dinheiro está seguro na Bovespa, pois a corretora só intermedia, mas suas ações ficam na Bovespa mesmo, não na corretora. Só o dinheiro que fica em CC na corretora que é da corretora mesmo.

    3) Collor? Vixe! Rss… Não sei dizer viu… boa pergunta… mas ações diretas estão sempre na Bovespa, e não deve ter problema não… o Collor pegou foi dinheiro mesmo, em fundos de renda fixa… outra dúvida que só o gerente de banco pode dizer..

    Fundos é bobagem mesmo… Muito melhor aprender a aplicar em ações diretamente… vale a pena e não é complicado não… melhor, mais rentável, mais seguro, mais fácil, mais divertido, etc…

    Espero vê-lo em uma próxima turma! Você vai gostar!
    Abraço!
    Leitão

  33. 34 Carlos Alberto da Silva

    Leitão: Bom Dia !!!

    Gostei da historia acima postada em seu BLOG. Sou um exemplo dela. Aos 50 anos após 35 anos de trabalho ininterruptos, consegui me aposentar por tempo de trabalho. Continuo trabalhando registrado para complementar minha renda.

    NUNCA confiei nos bancos, em previdencia privada, aplicacoes, etc… isso é para quem tem tempo e conhece a fundo o tipo de negocio. Fora isso, somos todos “uns trouxas aplicando e dando nosso rico dinheirinho paras os mais espertos”. Isso é experiencia propria tambem.

    Nos anos 70 – Perdi um monte de dinheiro que apliquei na CAPEMI – percurssor dos fundos de previdencia. Quando faliu, meu dinheiro sumiu…….
    Nos anos 90/2000 – Prestava serviços a nossa querida VARIG, quando vi o AERUS – Fundo de previdencia dos funcionarios das empresas aereas – implodir e vi gente que apos aplicar durante mais de 30 anos no mesmo, ficou sem nada a ver navios, digo a ver avioes no ar e nada no bolso.

    Voce aplica seu dinheiro no banco para ganhar 0,5% ao mes. O banco empresta seu dinheiro a terceiros por no minimo 4,5% e se voce precisar usar seu cheque especial, tem que pagar ao redor de 7,5% ao mes…..

    Abracos e continue a ajudar todos nós…..

  34. 35 Leitão

    Oi Carlos!
    Obrigado! E obrigado também pelo depoimento! Cada um que deixa seu comentário contribui para ajudar a todos que passam por aqui…

    Demorei um pouco vir aqui pois ainda estou me recuperando da Dengue… :-/

    Um grande abraço!
    Leitão

  35. 36 Carlos Eduardo Peixoto

    Embora todas as colocações sejam válidas e respeitosas, de todos os itens o que chamou a atenção foi esta frase “Matematicamente é fácil. O difícil é ter a maturidade e disciplina para isso. Aí é que o bicho pega”. E é isto mesmo, hoje sou um feliz beneficiário de um fundo de pensão. Quando iniciei com 17 anos no banco, hoje com 54, não tinha maturidade suficiente para pensar em 30 anos a frente. Foi o melhor investimento que fiz até hoje. Lamento por aqueles que não acreditam e confiam que contratempos não possam acontecer ao longo da vida. Vi colegas construindo fortunas na bolsa e por momentos de infortúnio na sua administração perderam, além do capital, a capacidade de confiarem novamente em si mesmos . Fiz como uma formiguinha no inverno. Poupei e agora posso ter uma vida modesta e com dignidade. Com isto, não estou desconsiderando a capacidade administrativa e inteligência emocional dos colegas do site no sucesso dos seus investimentos na bolsa. Longe de mim. Considirei e respeito todas as opiniões formalizadas. Embora seja um beneficiário de um fundo de pensão, não me sento deitado em berço esplêndido. Fico atento aos investimentos que são feitos e procuro me atualizar sobre todas as ações produzidas. O que lamento é a interferência direta do Governo. Agora, o que preciso é vencer o medo (conservadorismo) e decidir definitavamente entrar no mercado e aproveitar, além da rentabilidade, o convívio com pessoas inteligentes como todos vocês aqui. Obrigado a todos.

  36. Leitão

    Agora a pouco recebi um email coorporativo, convidando para ver uma palestra sobre previdência privada aqui na empresa, pois é de interesse da empresa para os funcionários. Na hora, lembrei deste post, e resolvi estudar um pouco, pois estou querendo plantar discórdia, e ir lá questionar o palestrante o porquê das vantagens que ele propoe. Eu só queria ver qual a cara do peão ao questionar que até mesmo a “poupança” é mais rentável do que um investimento em previdência privada.

    Abraço

  37. 38 Leitão

    Oi Jeferson!
    Heheheheh! Vixe, vai dar ibope lá na palestra viu! Rssss…

    Esse tipo de “palestra” é comum nas empresas viu, eu já passei muito por isso. Acontece que quem “contrata” esses palestrantes é geralmente a estagiária do setor de RH, que nada entende de dinheiro…

    E pior, quem dá essas palestras geralmente vive atolado em prestações e no cheque-especial… rssss

    (brincadeira heim gente, não fiquem bravos comigo!)

    :-)
    Abraço!
    Leitão

  38. 39 Leitão

    Oi Carlos Peixoto!

    Nossa! Desculpe-me! Só hoje vi sua mensagem! Falha minha!

    Ótimo relato pessoal! Obrigado!

    Um abraço!
    Leitão

  39. Pois é Leitão

    Quem vai palestrar é o “presidente do xyz previdencia”, que é do “banco tabajara”
    Já estou imaginando, lá vem lero-lero tentando convencer o povo a investir, para ter uma rentabilidade de 3,5% ao ano…
    Dai vem meu colega e fala: “Ahh, mas o cara é famoso, pq ele fala em tal rádio”.
    Só falei, tá, e daí ?…Ele é funcionário de um banco, ele vem aqui para conseguir o seu dinheiro, dai eles usam este mesmo dinheiro, para emprestar para os outros, com quase os mesmos “3,5%”, isto ao mês…Sacanagem né…
    Quando a gente começa a abrir os olhos para as coisas, acaba deixando revoltado…

    Abraço

  40. 41 Leitão

    Falou tudo!

  41. 42 Carlos

    Realmente.
    Confiar no governo ou em bancos para aposentar é algo que critico duramente.Lamento o fato de somente ter olhado o assunto com muito mais cuidado há pouco tempo.
    Continuo pagando o INSS porque faltam-me apenas seis anos. Tenho certeza que o governo ficaria contentíssimo se todos aposentassem por idade apenas.
    Falou-se sobre PGBLs e cadernetas de poupança (Essas eu abomino, reprovo fortemente.)
    E sobre títulos de capitalização que os bancos não economizam mão-de-obra para empurrar para os clientes?
    Seguros de vida com contratos repletos de “letrinhas miúdas”?
    Alguns seguros para autos também são repletos de esquinas que somente nos vêm ao conhecimento depois do sinistro.
    Quanto às palestras nas empresas acerca de planos de aposentadoria privada, onde eu trabalhava sempre havia isso. Que dureza ficar ouvindo o cidadão entupindo os ouvidos nossos com aquela ladainha e não poder levantar-se e sair nem contestar aquela carrada de tolices.

  42. 43 Carlos

    Ah, em tempo:
    Palavras que não me saem mais da mente são as de Max Gunther- “…Mantenha seu dinheiro sempre à mão.”
    Essas poucas palavras são o que considero uma regra simples e extremamente valiosa.

  43. 44 Daniel Quireza

    Galera, acho que depende muito. No caso de empresas estatais ou semi publicas geralmente a empresa tbm entra com algum para complementar a aposentadoria, as vezes é o mesmo tanto que a gente poe, dai na maioria das vezes acho que compensa sim. Temos é que fazer a conta certinho, com estimativas razoáveis, considerando a taxa de administracao, o IR na hora do saque e tudo mais. Agora titulo de capitalizacao nem pensar, é com isso e com tarifas que os bancos mais ganham dinheiro ainda mais agora com as tendencias de quedo de juros no longo prazo.

  44. 45 Ploko

    Concordo contigo Daniel,

    Trabalho em uma estatal de energia e tenho plano de previdência da empresa, o qual possui esse critério q vc comentou. Se eu deposito R$100,00, a empresa deposita mais R$100,00 tbém. Ou seja, lá na frente isso faz uma enorme diferença.

    Agora, planos de previdência de bancos, esses sim, só são bons se vc for acionista do mesmo banco! hehe

    Abrs

  45. 46 Laenir Ana

    Olá Leitão!
    Aqui as ideias são socializadas. Li num livro um ensinamento de uma religião.Para administrar dinheiro ela ensina assim ” todo mês um terço para moradia, um terço para alimentação e um terço do lucro para aposentadoria”.

  46. 47 Sam

    Leitão, no meu caso, eu trabalho numa empresa em que a Previdência Privada dela é administrada da seguinte forma: Para cada 1 real investido por mim e empresa coloca mais 1 real dela. E nesse caso? Ainda assim você acha desvantajoso ( visto que a previdência privada dela é opcional e eu poderia simplesmente não contibuir, mas deixaria de investir dobrado, perdendo essa motivação que ela dá, se é que me entende rs).

  47. 48 Sam

    Esqueci de dizer que além disso, continuo investindo na bolsa normalmente, visando o longo prazo.
    Um abraço.

  48. 49 Sam

    O comentário 47 tem uma interrogação no final ok? Comi mosca! rs

  49. 50 Sam

    Vixe, agora que vi que antes do meu já tinham feito comentários semelhantes rsrs. Foi mal!! Mas comenta aí p a gente Mestre Leitão !!

  50. 51 Leitão

    Oi Sam!
    Hehehe, que confusão! :-)

    Sim, neste caso que você comentou pode ser vantajoso. Mas veja como funciona esse plano, suas regas, etc. Se fizer as contas e ver que é vantajoso por essa característica específica, pode aportar um aparte nele sim, sabendo que deve manter os demais investimentos, principalmente o de ações. Procure manter todas as modalidades de investimentos devidamente equilibradas.

    Um abraço!
    Leitão

  51. 52 Sam

    Leitão, estou procurando me informar melhor sim. Já sei por exemplo que, caso eu saia da empresa poderei continuar com o plano de previdência privada normalmente, porém, a empresa deixará ( o que é plausível rs ) de colocar a parte dela e eu terei que continuar investindo sozinho o mesmo valor ou outro que eu julgue ideal p minha nova realidade financeira. Ou, se eu resolver resgatar o valor acumulado enquanto eu era empregado da mesma, pego apenas a parte que eu coloquei. A outra parte a empresa “pega de volta” rs. Só a nível de informação a empresa é a Petrobrás.

  52. 53 Sam

    Em 2011 resolvi estudar prá garantir a P.L.R. e não depender apenas dos dividendos. Deu certo!! Hoje sou acionista e empregado rs

  53. 54 Leitão

    Oi Sam!
    Hehehe! É isso aí! Muito bem!

  54. 55 Jovem há mais tempo

    Sem retoques, Leitão! Ganhar dinheiro para quê? Para perdê-lo em “furos do balde” ou dar um objetivo nobre para as rendas obtidas ? Seria o mesmo que dizer: viver para quê, se vamos esquecer o vivido ou malgastar a vida? Xingar a Bolsa e as adversidades?
    Jovem há mais tempo.

  55. 56 Leitão

    :-) Obrigado, Jovem há mais tempo!


  1. 1 Renda Fixa dá juros. Bolsa de Valores dá capital. « LEITÃO EM AÇÃO
  2. 2 Renda Fixa, Capital Imobilizado, Capital Produtivo, Capital Imaginário e Geração de Valor. « LEITÃO EM AÇÃO

Participe! Deixe um comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s