Alocação do Capital

07abr09

O amigo leitor Fabrício enviou a seguinte mensagem:

“Fala Leitão!!

Cara, comecei a acompanhar as discussões por aqui há mais ou menos um mês e meio, lendo as atualizações e, aos poucos, as postagens mais antigas. Me sinto na obrigação de te parabenizar pelo conteúdo, que trata muito da parte psicológica da coisa toda, o que sinto falta em outros sites que acompanho.

Com relação à minha “atuação” em bolsa, confesso que já fiz umas burradas grandes por não ter me preocupado em aprender antes de meter a cara. Agora, estou procurando ler bastante a respeito, procurando cursos e acompanhando mais de perto a movimentação antes de recomeçar. Considero que é hora de “apagar o passado” e deixar somente a lição das burradas, pra não cometê-las de novo.

Essa é a primeira vez que comento por aqui (não sou muito de comentar, mas por alguma razão me sinto à vontade aqui no seu site), e já vou colocando uma pergunta: Quando você fala da diferença entre especular e investir, você considera algum tipo de divisão do capital reservado para uma modalidade e para outra?

Valeu! E boa recuperação :)

Abraço
F”

—————————

Olá, Fabrício!

Obrigado pelos elogios! É sempre um incentivo para continuar…

Seja bem vindo e fique sempre à vontade para participar. Cada pergunta feita ou cada interação sempre enriquece o conteúdo e ajuda a todo mundo por aqui.

Realmente, bolsa é mais psicologia que matemática, e pouca gente percebe isso.

Sobre burradas, isso mesmo, servem para aprender. O grande desafio é não cometê-las novamente, e na bolsa não repetir erros é uma coisa difícil mesmo…

Sobre a questão de divisão de recursos, ótima pergunta. Acho que já falei isso aqui não lembro em que post, mas é sempre bom repetir quando a questão é importante.

Vou dar uma referência pessoal, mas é uma boa referência.

É mais ou menos assim: de toda sua poupança, 50% vai para Renda Variável e 50% fica na Renda Fixa (CDB, Tesouro, Etc..).

Se estamos em crise, e o mercado fica cheio de ações baratas, essa relação pode ser melhor balanceada, aproveitando as oportunidades e ficando mais ou menos isso: 75% em RV e 25% em RF.

Quando é o contrário, quando estamos a anos em um mercado de alta e está tudo caro demais, invertemos a mão: 25% em RV e 75% em RF.

Bem, agora, a divisão do dinheiro exclusivo para Renda Variável. Isso é importante.

O ideal é manter algo próximo disso: 20% Especulação e 80% Investimento.

A grande questão aqui é a correta alocação de recursos, visando:

1) Proteção do capital e 2) Maximizar a rentabilidade dele.

Estando atento a essas questões, a bolsa vira um passeio no parque, tranquilo, pois se subir a gente acha bom, e se cair a gente acha melhor ainda… :-)

Bem, espero ter ajudado… qualquer dúvida estamos aí.

Abraço!
Leitão

Leia também…

> Diferença entre Análise Gráfica e Análise Técnica

> Qual a lógica?

> Igual a 500 anos atrás



12 Responses to “Alocação do Capital”

  1. 1 Fabricio

    Olha só!!! Virei post! Que honra, hein?!?! ;)

    Parabéns de novo pelo blog!

  2. 2 Laenir Ana

    Olá Fabrício!
    Eu também quando entrei na Bolsa porque tinha lido livros e assistido palestras achei que sabia alguma coisa .Perdi dinheiro.Hoje acompanhando os gráficos do Leitão consigo entender alguma coisa.Mas não dá pra ir pelas conversas da televisão e nem da corretora,se não a gente faz negócio ruim.

  3. 3 Adilson

    Olá Leitão!

    Desculpe ressuscitar o tópico, mas estou com algumas dúvidas com relação à realocação de capital.

    Comecei no mercado acionário pelo caminho errado, por opções, ainda mais sem conhecimento, perdi uma $ e agora estou estruturando as idéias. Li alguns livros e continuo lendo outros relacionados ao investimento e a busca da independência financeira.

    No caso mencionado por vc, o investidor possui já uma poupança e realoca uma porcentagem em RV e RF, variando conforme o mercado esteja barato ou caro. Divide o patrimônio em 24 ou 16 partes e vai comprando sempre o mesmo valor, um número X de empresas, até chegar na última e depois recomeça. Certo?

    Bom, deixa eu chegar lá senão a coisa vai longe rsrs. O que quero dizer é que, para uma pessoa que disponha somente de 500 mensais para investir, qual é o meio mais adequado? Comprar mensalmente a mesma cota de ações ou primeiramente formar uma poupança mais gorda para depois dividr o capital e então começar a investir?

    Como meu objetivo é para 10 ou mais anos, estou tendendo pela 2ª opção. Formar um capital que remunere minha aposentadoria e obter uma vida mais “rica”.

    Fico pensando como seria útil para nossas crianças o ensino de economia financeira desde o ensino fundamental… Qdo chegamos a uma certa idade e olhamos para trás, vemos como poderíamos estar hj com algumas atitudes simples.

    Gd abraço!

  4. 4 Adilson

    Ah, embora acompanhe seu blog há mais de um ano, comecei ler tudo há uns dois meses. Não tinha idéia como tinham tantas informações valiosas. Parabéns pela paciência e incentivo com os investidores aprendizes e tb com os antigos que percebem ter que reaprender vários conceitos.

    Em breve poderei fazer teu curso.

    abrç!

  5. 5 glauco tonello

    Adilson, entrando um pouco na parte da educação.

    O material Anglo de ensino, já tem algumas aulas no 8 e 9 anos do fundamental para o ensino de empreendedorismo.
    e outros meios que ensinam o empreendedorismo, pelo menos já estão engatinhando..

    abraços

  6. 6 Adilson

    Olá Glauco!

    Fico feliz com esta notícia.

    Sou professor esporádico, divido meu tempo entre minha fonte de renda principal e dar aulas, o que realmente gosto. Tento passar alguns conhecimentos básicos sobre educação financeira para meus alunos, embora lecione Física rsrs

    Inserir conteúdos que estão mais ligados à vida de cada educando realmente é gratificante. Vê-se claramente o despertar do interesse em muitos alunos normalmente dispersos. Educar é aprender e tb aprendo com cada um deles.

    Abraço!

  7. 7 glauco tonello

    Adilson, por incrivel que pareça estamos no mesmo barco, pois dou aulas de física somente a 16 anos, trabalho com a rede anglo de ensino aqui em Barra Bonita e região. e tbm com cargo no estado. se precisar de materiais para aulas estamos a disposição

    abraços

  8. 8 Leitão

    Oi Adison, ou Glauco!

    Fique sempre à vontade! O conteúdo aqui é atemporal, é sempre útil a todos!

    Pois é, essa é uma crítica que faço a anos: deveríamos ter Educação Financeira na grade escolar desde o primário. Isso faz toda a diferença na vida da gente.

    Eu também demorei aprender, e batendo cabeça, mas aprendi e vale a pena os frutos colhidos depois de um bom plantio.

    Sim, você descreveu corretamente. E 500,00 é mais que bom! Já pode comprar mensalmente ações com esse valor. Ex.: em junho: 500,00 de vale, em julho, mais 500 de petr, e asssim por diante fazendo o rodízio… sempre com um mínimo de 10 boas empresas… (resumidamente é isso, mas uma pena que por aqui não consigo explicar tudo tim-tim por tim-tim…)

    Um abraço!
    Leitão

  9. 9 FabioL

    Olá Leitão!

    Em relação ao % alocado em RF, você acha que seria válido usar parte em opções (Venda Coberta ITM), obtendo uma taxa superior à RF? Claro que com uma boa gerência de riscos.

    Abs,

    Fabio

  10. 10 Leitão

    Oi Fabio!

    O ideal é deixar o dinheiro da renda-fixa quieto mesmo. A função dele é estratégica, para ser usado nos momentos de necessidade ou oportunidade.

    Opções é Especulação. Mexer com Opçoes exite tempo, preparo, dedicação… Se a pessoa tem esses ítens a seu favor (tempo, preparo, dedicação) pode até ser interessante. Mas não é para a maioria das pessoas…

    Um abraço!
    Leitão

  11. 11 Coruja

    Oi, Leitao, vale comentar post da década passada?

    Vejo que você gosta dessa balança 50%/50% entre RF e RV. Você considera essa percentual conservador, moderado ou arrojado?

    Quando você fala que nos momentos de crise podemos alocar até 75% na RV sinto que eh uma postura bastante agressiva, e, por que não dizer, de exposição maior ao alto risco.

    Estou enganado?

  12. 12 Leitão

    Oi Coruja!
    Bom dia! Vale sim, o Blog inteiro é atual e útil para aprendizado :-)

    50/50 é um padrão confortável e conservador. É uma referência, mas cada pessoa vai fazer conforme seu gosto pessoal, sua estratégia pessoal, sua disponibilidade de recursos, sua confiança em sua estratégia, seus objetivos de médio e longo prazo, emfim…

    Quanto mais confiantes, conscientes e preparados, mais podemos alocar em ações.

    Nos momentos de “crise” os preços das ações caem bastante e, ao contrário do senso comum, isso é ótimo para o Investidor. Veja nossos dias atuais, por exemplo… Então, como disse, estando confiante e seguro do que se está fazendo, aumentar a alocação em ações é sim uma boa nesses períodos…

    Abraço!
    Leitão


Participe! Deixe um comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s